VII Congresso Mundial de Estilos de Aprendizagem

De 4 a 6 de julho de 2016 em Bragança, Portugal, será realizado um novo encontro de professores, pesquisadores e profissionais de diversas áreas que irão compartilhar os resultados de estudos, aplicações e experiências sobre os estilos de aprendizagem e ensino.

Os temas do VII Congresso Mundial de Estilos de Aprendizagem abarcam aspectos tanto para aprender melhor como para ensinar melhor. A inovação é um elemento decisivo para melhoria da educação nas instituições e as tecnologias de informação e comunicação oferecem suporte na implementação de melhorias alinhadas as expectativas dos envolvidos.

Confiram os temas propostos no site do evento: http://cmea.ipb.pt/temaspt.html

Fonte: http://cmea.ipb.pt/indexpt.html

II PromovEaD

A Secretaria de Educação a Distância (SEAD/UFRGS) com apoio da Associação Universidade em Rede – UniRede e do Projeto de Comunicação e Atendimento ao Cidadão (PROCAC), realizará nos dias 23, 24 e 25 de maio de 2016 a segunda edição do PromovEaD: Estratégias de Comunicação para a Educação a Distância em Diferentes Contextos.

O evento, de caráter nacional, tem como público alvo os assessores de comunicação dos centros de educação a distância de Instituições Públicas de Ensino Superior do Brasil (IPES) e demais interessados em aprimorar a comunicação das ações desenvolvidas em suas instituições no âmbito da EaD.

O objetivo é trazer para discussão a importância das estratégias da comunicação para a divulgação da educação a distância pública no país, dentro e fora da Universidade. Com isso, busca-se propiciar aos participantes um espaço para a problematização e elaboração de novos conhecimentos e campos de análise para suas práticas, bem como elaborar um documento que sistematize a situação atual e a visão futura do posicionamento das assessorias de comunicação.

Além dos painéis de discussão, haverá espaço para apresentações de trabalhos, no formato pôster, nos quais os participantes poderão trazer as suas experiências das áreas de Relações Públicas, Publicidade e Propaganda e Jornalismo com foco na EaD.

Serão aceitas submissões de trabalhos até o dia 20 de abril e as inscrições para ouvinte serão até o dia 20 de maio.

O II PromovEaD acontecerá no auditório e no laboratório de informática do Polo de Educação a Distância da UFRGS, em Porto Alegre/RS.

Confira mais informações no link: http://www.ufrgs.br/sead/servicos-ead/eventos-1/promovead

Fonte: http://www.ufrgs.br/sead/news

Dicas para estudar a distância v2

”Educação a distância: ruptura temporal do processo de educação; mediação por um aparato tecnológico; flexibilidade na estruturação dos conteúdos e ênfase na autonomia do aluno.” 1

A educação a distância tem hoje uma grande aliada, a tecnologia, e requer um novo papel dos envolvidos nela. É preciso buscar o autoconhecimento e identificar qual é o estilo de aprendizagem individual para melhor aproveitamento das oportunidades. Por isso, a Sinapses-ead propõe 11 dicas para nortear suas escolhas e sua participação na modalidade de educação mais conectada e sem fronteiras que existe.

 

DICAS PARA ESTUDAR A DISTÂNCIA

1 – Prepare-se para a EAD

Uma das principais características da EAD é interatividade como recurso para o aprendizado. Na Sinapses-ead, a construção coletiva e a interação entre os participantes são muito valorizadas nas atividades propostas e os insumos didáticos oferecidos demonstram a importância da interatividade, mas lembre-se sempre dos fatores que possibilitaram o surgimento e o posterior desenvolvimento da EAD:

– Necessidade de adaptação às constantes mudanças no mundo em todos os setores; 2

– Exigência de atualização permanente dos conhecimentos; 2

A demanda por profissionais mais capacitados e multiespecializados em técnicas é uma característica da sociedade do conhecimento e normalmente esses profissionais não são formados nas instituições de ensino 3, então você certamente encontrará a EAD no ambiente corporativo, mas com outra denominação. No ambiente corporativo essa modalidade de ensino é mais conhecida por e-Learning.

2 – Faça a escolha certa e seja persistente

Pesquise o tema escolhido para cursar na modalidade EAD e verifique qual ambiente virtual de aprendizagem é utilizado. Peça uma demonstração ou um acesso para testar sua adaptabilidade. Hoje em dia as instituições estão abertas para receber todas as dúvidas dos interessados e oferecer informações adicionais que vão auxiliá-los na escolha. A melhor forma de ter sucesso em qualquer área de sua vida é enfrentar os desafios que se apresentam. Seja persistente e não desista.

O exercício de refletir sobre os compromissos assumidos em nossa vida diária e o estabelecimento de prioridades, bem como uma rotina de estudos são fundamentais em um curso a distância e serão úteis ao longo de toda a vida. 4

3 – Equipamentos, programas e aplicativos

Verifique os requisitos técnicos para a realização do curso escolhido e o navegador de internet que você costuma usar. A maioria dos cursos são testados quanto à visualização e funções, em todos os navegadores, mas isso não quer dizer que não possa ocorrer algum erro devido a velocidade da conexão ou taxa de transmissão de dados. Esteja atento!

Vários programas e aplicativos podem complementar as atividades educativas e ocasionalmente podem ser acessados fora do ambiente virtual de aprendizagem. A grande maioria tem interface intuitiva, mas sempre vai exigir do participante uma postura ativa para o enfrentamento da necessidade de atualização e adaptação com o uso da nova tecnologia.

4 – Organize-se

Planejamento é essencial em qualquer modalidade de estudo, mas na EAD é necessária muita disciplina, pois as atividades têm prazos e, geralmente, a avaliação considera sua participação durante o período de realização da atividade. Defina um número de horas para estudo diário e revise sua agenda semanalmente. Planejamento do tempo e organização são características do aluno virtual bem-sucedido.

5 – Concentre-se

Reserve um local apropriado para os estudos e fique bem longe do que pode desviar sua atenção, como televisão, celular e mídias sociais. Interromper a leitura várias vezes para ver as mensagens que chegam comprometem o aprendizado e o ritmo da leitura. Na EAD uma característica dos textos são os hiperlinks para materiais complementares que já contribuem para a escolha de caminhos individuais.

6 – Não deixe tudo para a última hora

Estudar horas seguidas é cansativo e pode comprometer seu aprendizado. Defina um número de horas para estudo diário, essa é uma estratégia de estudo conhecida como prática distribuída, cujo maior benefício é aumentar a retenção de conhecimento adquirido. Os fóruns de discussões, questionários e atividades de pesquisas são propostos visando a prática e a reflexão da teoria apresentada. É necessário ter compromisso com a própria aprendizagem e com o grupo. Além disso, na EAD a aprendizagem é colaborativa e a comunicação é interativa. As atividades requerem a participação ativa e as atividades em grupo são valorizadas.

7 – Interação e motivação

Grupos mais jovens estão acostumados com a interação online e os mais velhos precisam aprender a se relacionar com pouco e/ou sem contato físico. Os tutores podem dar suporte aos participantes ou mesmo os colegas podem oferecer um “ombro amigo” nas horas de desânimo. Com o tempo todos se adaptam ao contato online e também há possibilidades de chamadas com vídeo para “diminuir” a sensação de isolamento. Sempre é bom ouvir a voz de outro participante ou do tutor.

8 – Participe e comente

A comunicação pessoal e a grupal são componentes interligados e inseparáveis no processo de aprender continuamente. 5 A aprendizagem acontece quando processamos informações novas correlacionando-as com o conhecimento e experiências prévias.

No ambiente virtual perdemos a linguagem corporal – postura, gestos e expressão facial –, e assim não há como saber sua reação face ao conteúdo ou atividade que está sendo abordado. Portanto, participação e comentários são fundamentais.

Sinta-se à vontade para compartilhar suas experiências com os colegas, pois num curso a distância os conhecimentos e significados são construídos em conjunto por meio da participação de todos no ambiente virtual. 6

Na EAD há estratégias para compensar a perda da linguagem corporal como o uso de emoticons e o famoso “internetês”, mas use sempre com cuidado e sem exagero. Lembre-se que o importante é seu posicionamento crítico face ao conteúdo que está sendo abordado.

9 – Postura ética

Não tente se enganar: com a internet é muito fácil copiar indevidamente o trabalho de outras pessoas, mas o que isso lhe acrescenta? Aproveite a oportunidade para desenvolver e/ou exercitar a habilidade da escrita. Citar e incluir trechos dos trabalhos de outras pessoas para fundamentar sua análise é uma prática recomendável, desde que a fonte seja citada. Aproveite esses momentos para trocar opiniões sobre os artigos e revistas pesquisadas.

10 – Revise o material de estudo

Fazer todas as atividades propostas não significa que você realmente absorveu o conteúdo. Na EAD o material de estudo está disponível e organizado em um único lugar – o que facilita o acesso e a revisão. Releia sempre que sentir que não domina o assunto e aproveite para esclarecer suas dúvidas nos fóruns durante o andamento do curso.

11 – Mantenha-se conectado

Os meios de comunicação estão de modificando. As mídias sociais assumiram um lugar de destaque no que diz respeito a circulação de informação e por proporcionar contato constante e de diversas formas (textos curtos, imagens, conteúdos informativos, vídeos, etc.) podem se configurar em uma rede social de conhecimento. Isso significa instigar a busca do conhecimento a todo instante, proporcionando a criação do hábito da curiosidade cognitiva nos estudantes. 7

Clique aqui para baixar a versão em pdf

Referências

1 SOUSA, R.P., MOITA, F.M.C.S.C., CARVALHO, A.B.G. (Org.). Tecnologia digitais na educação – Campina Grande, PB: EDUEPB, 2011. p. 238

2 CARNEIRO, Maria Lúcia Fernandes. Instrumentalização para o ensino a Distância – Coordenado pelo Curso de Graduação Tecnológica – Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural da SEAD/UFRGS – Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009. p. 36

3 O e-Learning como ferramenta estratégica para o treinamento e o desenvolvimento de pessoas de organizações, 2013, disponível em: <http://www.abed.org.br/site/pt/midiateca/textos_ead/1100/2013/04/http//www.abed.org.br/media/artigo_elearning.pdf> Acesso em 02, mar. 2016.

4 CARNEIRO, op. cit., p. 58

5 MORAN, J. Autonomia e colaboração em um mundo digital – Revista Educatrix, n.7, 2014, Editora Moderna. Disponível em: <http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2013/12/autonomia.pdf> Acesso em 1, mar. 2016.

6 CARNEIRO, op. cit., p. 56

7 RENÓ, D.P., VERSUTI, A.C. e RENÓ, L.T.L. Educação: uma nova perspectiva a partir da Transmediação e Conectivismo. Revista da Associação Brasileira de Tecnologia Educacional, v. 31, jan/mar/2011. p. 27

3º Congresso Ibero-americano de Estilos de Aprendizagem

O Congresso de Estilos de Aprendizagem foi uma iniciativa de Catherine M. Alonso García e Domingo J. Gallego Gil quando viram o elevado número de professores que estavam investigando o assunto. Pensaram que era uma excelente oportunidade para conhecer, promover a pesquisa, comunicação e discussão entre todos. Foi decidido realizar um congresso bianual de Estilos de Aprendizagem, alternando entre a Europa e América. O grande interesse no assunto que existe na América Latina incentivou a iniciativa de Nibaldo Gatica e da Universidade de Concepción, e a partir de 2011 o Congresso Ibero-americano de Estilos de Aprendizagem, acontece em anos ímpares.

Eixos temáticos

  • Estilos de Aprendizagem e Educação Inclusiva
  • Estilos de Aprendizagem e Educação Emocional
  • Estilos de Aprendizagem e Neurociência
  • Estilos de Aprendizagem e Novos Contextos Educativos
  • Estilos de Aprendizagem no Ensino Superior
  • Estilos de Aprendizagem em Educação Infantil, Fundamental Básico, Junior Secundário e Profissional de Mídia
  • Estilos de Aprendizagem e Construção Social do Conhecimento

Leia mais e conheça a programação.

Fonte: http://www.congresoestilosdeaprendizaje2015.com/ (tradução nossa)

22º CIAED – Congresso Internacional ABED de Educação a Distância

“O CONTÍNUO DESAFIO DE AUMENTAR A QUALIDADE NA EAD”

Ninguém pode ignorar o crescimento qualitativo e quantitativo conquistado pela EAD no Brasil nos últimos anos. Os resultados excelentes do desempenho no ENADE por quem estudou a distância, a significativa preferência de novos estudantes universitários pela EAD acima do presencial, e a expansão de investimentos na EAD por parte de muitos setores interessados na aprendizagem formal e não-formal são indicativos de que nossa comunidade está atuando positivamente e proativamente.

Mas isso não basta. Chegou o ponto no qual precisamos calibrar, de forma mais apurada possível, a qualidade de nossos trabalhos ministrando programas de EAD. Nenhuma instituição pode “descansar em cima de suas conquistas”. Nesses tempos dinâmicos, a única coisa permanente é a mudança—em nosso caso, os interesses, os hábitos e a prontidão acadêmica dos aprendizes mudam; a natureza e disponibilidade de materiais para a aprendizagem e da tecnologia também se alteram.

Por isso, é um desafio, reconhecendo essas novidades, manter o pensamento vigilante sobre a eficácia de nosso trabalho. A qualidade em educação é identificável pela comprovação de que os estudantes efetivamente aprenderam aquilo que o curso se propôs a ensinar. Como comprovar isso? Existem variadas técnicas, antigas e novas, e temos a obrigação de sempre criar maneiras cada vez mais seguras e inteligentes para tal.

A literatura sobre métodos de avaliação questiona a confiabilidade de resultados de provas para asseverar o sucesso da aprendizagem. Provas objetivas sobre conteúdo podem estar testando mais a memorização do que a compreensão e possível aplicação do conteúdo. Podem encorajar o esforço da última hora para compreender a informação, não respeitando as diferenças do ciclo cicardiando que favorece o estudo em horários compatíveis com o rendimento biológico de cada indivíduo: há os que produzem melhor nas horas matinais, vespertinas ou noturnas.

Então, quais seriam os métodos mais efetivos, sejam autóctones ou não para este fim, capazes de incentivar reformas ou inovações em nosso trabalho que garantiriam cada vez mais qualidade para nossos esforços? Estamos abertos às produtivas colaborações para o CIAED 2016: relatórios, análises e discussões em torno desse desafio sempre cobrado de nós, tanto por nós mesmos quanto pela sociedade.

Quando: de 19 a 23 de setembro de 2016

Onde: Águas de Lindóia – SP – Brasil

Confira aqui os trabalhos científicos aprovados para apresentação no 22º Ciaed

Inscrições: http://www.abed.org.br/hotsite/22-ciaed/pt/inscricao/

Fonte: http://www.abed.org.br/hotsite/22-ciaed/pt/apresentacao/

XI Jornadas Latino-americanas de Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia, ESOCITE 2016

A Associação Latino-americana de Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia (ESOCITE), a Universidade Federal do Paraná (UFPR), a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e a ESOCITE-BR convocam a todos os investigadores relacionados com os Estudos Sociais da Ciência, Tecnologia e Inovação a participar das XI JORNADAS LATINOAMERICANAS DE ESTUDOS SOCIAIS DA CIÊNCIA E DA TECNOLOGIA, ESOCITE 2016: ESOCITE 21 Anos: Trajetórias plurais entre passados e futuros.

As Jornadas Latino-americanas de Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia (ESOCITE) se celebrarão no Brasil, na cidade de Curitiba, entre os dias 25 e 28 de julho de 2016. Esta edição reveste-se de especial importância pois, além de celebrar simbolicamente a maioridade dos estudos sociais da ciência e da tecnologia na América Latina, será o primeiro evento no qual a ESOCITE se apresentará formalizada juridicamente.

Ainda que este seja um fator menor perante a realidade da articulação concreta através de redes, grupos de pesquisa, programas de pós-graduação e publicações, ocorrido ao longo dos anos, ele é  significativo por apontar os novos níveis de institucionalização no presente e indicar potencialidades de desenvolvimento  futuro.

Este momento de formalização institucional nos estimula a refletir sobre os múltiplos grupos de pesquisa que, desde há várias décadas atrás, elaboraram o pensamento sobre Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS) na região, nos convoca a analisar a proliferação de perspectivas e abordagens no presente, e nos desafia a pensar sobre as diferentes configurações possíveis do campo CTS no futuro.

Para discutir estas e outras temáticas, ESOCITE 21 Anos: Trajetórias plurais entre passados e futuros, serão realizados conferência inaugural, mesas redondas, simpósios organizados em eixos temáticos e sessões temáticas.

Eixos Temáticos

A chamada de trabalhos para os Eixos Temáticos estarão abertas até o dia 14 de fevereiro de 2016

Na inscrição de trabalhos devem ser sugeridas até 2 opções de Eixos Temáticos. Caso não se não encaixem nos ETs propostos devem ser enviados na forma de temática “livre”.

Os resumos deverão conter nome dos autores, vínculo institucional, título e texto de 200 palavras, 5 palavras chave.

Será permitido a inscrição de um único trabalho como autor principal, e não haverá limite para coautoria (especialmente orientações)

E.T.1 – 20 anos de trajetória CTS na América Latina: história, enfoques, metodologias

E.T.2 – Correntes e práticas contra-hegemônicas na produção de C&T

E.T.3 – Controvérsias científicas, participação pública e tomada de decisão política em CT&I.

E.T.4 – Educação formal e não formal em CTS. CTS nas universidades.

E.T.5 – Ciência e Tecnologia: gênero, relações étnico-raciais, cultura e identidades.

E.T. 6 – Tecnologia e Inovação: aplicações, riscos e problemas sociais

E.T.7 – Políticas de CT&I e desenvolvimento local e regional

E.T.8 – Produção de conhecimentos tecno-científicos e questões sociais

E.T.9 – Dinâmica das instituições e campos científicos

E.T.10 – Dimensões internacionais da CT&I

E.T.11 – Percepção e comunicação pública da C&T

E.T. Livre – receberá trabalhos que não se encaixem nas temáticas anteriores para montar novos grupos temáticos

 

Sessões Temáticas

A chamada para propostas de Sessões Temáticas estará aberta até o dia 14 de fevereiro de 2016.

As sessões temáticas deverão ser propostas por dois coordenadores de instituições distintas, e preferencialmente de países diferentes.

Haverá sessões temáticas de um e dois blocos, contendo cinco trabalhos cada um. Caso uma proposta de sessão temática não seja aceita como tal, os resumos que a compõem serão avaliados individualmente e remanejados para os Eixos Temáticos.

Para mais informações, visite a página web do congresso: http://www.esocite2016.esocite.net/

3º Encontro de Divulgação de Ciência e Cultura – EDICC 2016

Rumos e perspectivas para a divulgação científica e cultural, esse será o tema que norteará os debates propostos para as conferências e mesas-redondas, que contarão com palestrantes cujas experiências profissionais e/ou áreas de estudo possam colaborar para ampliar os horizontes de atuação dos divulgadores de ciência e cultura no País. Além disso, por meio das modalidades de apresentação de trabalhos (comunicações orais, comunicações visuais e intervenções livres), espera-se oportunizar importantes intercâmbios de saberes e fazeres entre os representantes das variadas instituições que se inscreverem para o evento. Estão previstas também oficinas com proposições multidisciplinares que contribuam com a temática do EDICC 2016.

O evento pretende colaborar com o debate acerca dos rumos e perspectivas para a divulgação da ciência e da cultura, estabelecendo o campo como espaço de reflexão e de experimentação e promovendo um diálogo entre pesquisadores que produzam conhecimentos que tentem dar conta da complexidade das questões relacionadas à difusão das ciências, tecnologias e artes. Busca-se integrar estudos que se configurem a partir do mapeamento e da análise das mídias, da produção de novas narrativas com base na investigação das potencialidades das imagens, palavras e dos sons na comunicação, da avaliação da percepção pública da ciência e do debate sobre a relação entre ciências e tecnologias, entre outros.

Quando: 29 e 30 de março de 2016.

Submissões de trabalhos: de 11 de janeiro a 12 de fevereiro de 2016.

Fonte: http://3edicc.wix.com/edicc2016

Novas expectativas

Um novo ano se inicia e com ele novas oportunidades de aprendizado e crescimento.

Para você registrar todas as datas importantes e fazer seu planejamento preparamos um novo modelo de calendário para esse ano, calculando que vai facilitar para quem estuda e trabalha, e precisa estar atento a datas e prazos das atividades e dos eventos (workshops, congressos e etc.). O calendário conta ainda com espaços para anotações e tarefas.

O ano de 2016 é bissexto, isto é, tem 366 dias. A adição de 1 dia a cada 4 anos ocorre para compensar a diferença existente entre o ano do calendário e o ano solar, que é o tempo que o planeta terra leva para girar em torno do sol e gerar as quatro estações do ano. O ano solar tem aproximadamente 365,25 dias, ou seja, 365 e 6 horas.

Você pode baixar o arquivo clicando no link http://www.sinapses-ead.com.br/wp-content/uploads/2016/01/CALENDARIO_16.pdf e salvar em seu desktop e/ou imprimir. Lembramos que as imagens utilizadas foram cuidadosamente escolhidas para facilitar a impressão.

Estabeleça suas metas para 2016 e comece o ano planejando novas conquistas em sua vida profissional com estudo e dedicação.

III Congresso Brasileiro de Recursos Digitais na Educação

Nos dias 23 e 24 de novembro, acontecerá no campus Higienópolis da Universidade Presbiteriana Mackenzie o III Congresso Brasileiro de Recursos Digitais na Educação. O evento será das 9h às 16h, no auditório Ruy Barbosa.

O Congresso é dedicado à reflexão e troca de conhecimento sobre o uso de tecnologias no ensino fundamental, médio, superior e em outros eventos que envolvem o ensino, como treinamento corporativo e educação de jovens e adultos. Além disso é aberto para a troca de experiências entre profissionais da área e estudiosos.

O encontro contará com palestras e apresentações de trabalhos científicos nos eixos temáticos: Ambientes Virtuais de Aprendizagem, Avaliação em EAD, Desenvolvimento de Objetos de Aprendizagem, softwares educacionais e Apps, Design Instrucional e suas aplicações, Ensino Hibrido, Ética nos Meios Eletrônicos, Formação de Educadores na Era Digital,Games na Educação, Informática na Educação Especial e Acessibilidade, Metodologias Educacionais nos AVEAs, Preparação de Materiais Didáticos para Ensino Online, Realidade Virtual e Aumentada, Redes Sociais na Educação, Software Livre no Ensino e Tutoria em EAD Tecnologia Móvel no Ensino: celulares, tablets e phablets.

As inscrições vão até o dia 20 de novembro no link, e estarão disponíveis para o público externo.

Para mais informações, acesse a programação!

Fonte: Universidade Presbiteriana Mackenzie

IX Congresso de Direito de Autor e Interesse Público

Nos dias 3 e 4 de novembro do corrente ano, o IX Congresso de Direito de Autor e Interesse Público (C0DAIP), terá como temática central os DIREITOS AUTORAIS E AMBIENTE DIGITAL: 20 anos da Agenda Digital da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), ocorrerá nas dependências no Auditório do Espaço Cultural Capela Santa Maria e na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná (UFPR), ambos situados na Praça Santos Andrade, em Curitiba. O evento é gratuito e aberto ao público em geral.

Em sua 9ª edição, o CODAIP, almeja propiciar um amplo debate entre os diversos setores da academia, profissional e artístico na seara dos Direitos Autorais e Culturais sobre a necessidade da reforma da lei autoral dentro do contexto cultural e tecnológico da sociedade brasileira, colaborando com a definição de políticas jurídicas na área da propriedade intelectual.

O evento neste ano terá uma dinâmica concentrada dedicada à discussão dos desafios atuais para os direitos autorais para formulação de uma agenda positiva em questões atuais, tais como: a Gestão Coletiva no Ambiente Digital; o acesso aos Acervos Digitais; o Marco Civil da Internet e a liberdade de criação; a transformação criativa e os conteúdos livres na Internet; a Cultura Digital e uso das obras em Domínio Público; as Novas Tecnologias da Informação e seus impactos na Cultura, Educação, Políticas Culturais, Inovação e Conhecimento.

E, ainda, o IX CODAIP com o intuito de propiciar uma maior integração entre os diversos setores da academia, profissional e artístico na seara dos Direitos Autorais e Culturais, durante o evento serão ofertadas duas oficinas específicas, organizadas pelo Grupo de Estudos de Direito Autoral e Industrial – GEDAI/UFPR, a saber: OFICINA DE DIREITO AUTORAL E RECURSOS EDUCACIONAIS capacitação destinada a qualificação de professores e de profissionais que atuam na produção de material didático; e uma outra, OFICINA DE DIREITOS AUTORAIS E CULTURA DIGITAL para capacitação de gestores públicos que atuam em setores criativos.

A cada ano o evento se consolida como um grande fórum de debates, abrindo espaço, para apresentação dos trabalhos dos diversos grupos de pesquisa do país que se dedicam ao estudo da propriedade intelectual, de participarem ativamente nos Workshops dos Grupos de Pesquisa previstos na programação, com isso incentivando os estudos jurídicos e o aprimoramento do direito intelectual nas diferentes instituições brasileiras de ensino universitário.

O IX Congresso de Direito de Autor e Interesse Público tem o apoio do Programa de Pós-Graduação em Direito da UFPR e da Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Ensino Superior – CAPES.

O evento é gratuito e são as vagas limitadas. Para maiores informações, programação completa e inscrição basta acessar o site: http://www.gedai.com.br

Fonte: http://www.gedai.com.br