Metas e medidas de desempenho

Você já pensou em como mensurar as atividades importantes do seu dia a dia ou como mostrar quantitativamente os resultados que você entrega?

Disseminar esse conceito numa instituição hospitalar é um desafio, mas o aprendizado e crescimento das equipes compensa todo o investimento.

O monitoramento constante favorece a tomada de decisões e a busca de soluções alternativas enquanto ainda dá tempo de influenciar o resultado.

Na área hospitalar o ministério da saúde padronizou a nomenclatura e as medidas em 2002. Dentre os indicadores clássicos podemos citar: média de permanência, taxa de ocupação, intervalo de substituição, índice de giro e mortalidade. Todos estão relacionados a boas praticas e gestão de serviços de saúde.

Assim como os sinais vitais apresentam informações importantes sobre as funções básicas do corpo, subsidiando a tomada de decisões dos profissionais de saúde, os indicadores oferecem informações fundamentais sobre as atividades e uso dos recursos na unidade hospitalar, subsidiando o planejamento e a avaliação dos serviços utilizados.

O monitoramento constante de indicadores para o alcance dos resultados almejados é uma atividade imprescindível, assim como a definição das metas e da abordagem estratégica que a instituição vai adotar. Algumas estratégias, tais como gestão da qualidade e de riscos, perpassam todos os setores da instituição e requerem esforços e comprometimento não só de gestores, mas de todos os colaboradores.

Outros fatores importantes para o alcance de resultados e que possuem relação direta com o desempenho observado são:

– liderança
– estrutura (definição de competências e níveis de responsabilidade)
– processos bem definidos
– projetos em algumas situações
– pessoas comprometidas e
– comunicação

Estabelecer como os resultados serão compartilhados para acompanhamento pelos envolvidos no processo, pode funcionar como um elemento motivador. Essa é a etapa da comunicação do desempenho. Várias são as formas de comunicar e cada instituição adota uma ou mais. É comum ver os resultados em painéis de gestão à vista, nos murais ou em pauta de reuniões. Recomenda-se a utilização de mais de uma forma, para garantir maior alcance e entendimento sobre os fatores que influenciam os resultados.

E você, o que pensa sobre esse tema?

 

Referências:

Brasil. Ministério da Saúde. Padronização da nomenclatura do censo hospitalar / Ministério da Saúde, Secretaria de Assistência à Saúde, Departamento de Sistemas e Redes Assistenciais. – 2.ed. revista – Brasília: Ministério da Saúde, 2002. Disponível em:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/padronizacao_censo.pdf

Deixe uma resposta