Comunidades de Prática e aprendizagem contextualizada

Comunidades de Prática podem ser definidas com um grupo informal de pessoas que interagem regularmente para compartilhar as mesmas práticas, interesses ou objetivos de trabalho.

O termo Comunidade de Prática – CoP –, foi criado em 1991 por Jean Lave e Etienne Wenger ao estudarem como as pessoas aprendem. Esse estudo revelou que o aprendizado envolve, além da interação mestre e aprendiz, um componente social, a troca de ideias em grupo.

A sociedade em ritmo crescente de complexidade exige de todos o desenvolvimento da capacidade de aprender de forma continuada, pois na prática profissional lidamos com situações imprevistas o tempo todo e a cadência das mudanças é cada vez mais acelerada. A prática profissional apresenta ainda outros componentes que exigem desenvoltura, as zonas de ambiguidades e indeterminação.

Para organizar a percepção da realidade por grupos que desenvolvem uma prática comum, promover aprendizagem contextualizada, benchmarking e inovação as Comunidade de Prática ganham destaque. Com o avanço da tecnologia e dos ambientes de interação proporcionados pela Internet 2.0, interação muito valorizada na educação a distância, as Comunidades de Prática apresentam vantagens na configuração virtual, uma vez que possibilitam formas de comunicação síncrona e assíncrona, rápida, flexível e de baixo custo.

A Sinapses-EAD acredita nesta proposta e já criou um espaço para promover a aprendizagem contextualizada. Você conhece? Clique aqui!

Confira outras iniciativas relacionadas às Comunidades de Prática:

– Canadian Patient Safety Institute

– Comunidade Prática Internacional para apoiar o fortalecimento institucional da BIREME

Você participa ou conhece alguma Comunidade de Prática? Acesse nossa página no Facebook e compartilhe!

Por Silvia Brasil

Deixe uma resposta